Guia + Minicurso

100 GRÁTIS!

Faça como mais de 10.000 pessoas e dê os primeiros passos para se tornar investidor(a)!

Tenha acesso ao guia e ao minicurso grátis e exclusivos!

Quero Me Tornar Investidor(a)!

Como sair da Poupança e fazer seu dinheiro render de verdade

A Poupança é o investimento mais tradicional e conhecido do Brasil. Todo mundo já ouviu falar sobre ela, mesmo que nunca tenha aplicado dinheiro nela.

Mas isso não significa que ela seja uma boa opção de investimento. Pelo contrário, é uma das piores aplicações.

Algumas pessoas nem a consideram como um investimento, por render, muitas vezes, menos que a inflação (saiba mais aqui).

Neste artigo você vai entender, passo a passo, como e por que sair da poupança.

E acredite: não faltam motivos para sair dela. E é muito fácil e seguro! 🔒

Continue lendo e você vai descobrir!

Motivos para Sair da Poupança

Motivos para sair da poupança

Vamos ver alguns dos principais motivos para você sair da poupança hoje mesmo.

1. Baixa rentabilidade

Um dos melhores motivos pra sair da poupança é esse!

Afinal, se existem alternativas mais seguras e mais rentáveis, por que alguém ficaria na poupança?

Só vejo duas respostas:

  1. Falta de conhecimento
  2. Preguiça e falta de vontade

Se falta de conhecimento for o seu problema, este artigo vai resolver TUDO!

Se for o segundo caso, lamento, mas você precisa tomar uma atitude IMEDIATAMENTE!

Segundo as regras da nova poupança (válida desde 2012), a Poupança rende 70% da Taxa Selic, quando esta estiver abaixo de 8% ao ano. Caso contrário, a Poupança rende 0,5% ao mês.

A esse valor também é somada a TR (Taxa Referencial). Mas ela está praticamente zerada há muitos meses.

Transformando isso em números, vamos considerar o ano de 2018, quando a Selic ficou em 6,5% ao ano.

Como está abaixo de 8%, a rentabilidade da Poupança é de 70% da Selic. Logo: 0,7 * 6,5% = 4,55%.

Ou seja, a Poupança rendeu 4,55% no ano.

Por outro lado, se você investisse no título Tesouro Selic, do Tesouro Direto, teria recebido uma rentabilidade próxima à da Selic, ou seja, 6,5% ao ano.

Isso dá cerca de 42% a mais de rentabilidade ao ano! 42%! 😱

E você vai aprender, passo a passo, como e por que investir em títulos públicos. Continue lendo!

2. A Poupança rende menos que a inflação

Isso não é regra e nem acontece todo mês. Mas existem meses em que o rendimento da poupança fica abaixa da inflação, medida pelo IPCA.

Um exemplo muito conhecido é o que aconteceu durante o ano de 2013, quando a poupança rendeu 5,8%, mas o IPCA ficou em 5,91%.

Ou seja, nesse caso a Poupança fez o “investidor” perder dinheiro, pois o poder de compra foi reduzido.

Para entender mais sobre rentabilidade real (descontada da inflação), veja este artigo.

Durante os anos de 2017 e 2018, em alguns meses a inflação ficou, novamente, acima do rendimento da Poupança.

Em outras palavras: a Poupança, muitas vezes, faz você perder dinheiro!

3. A Poupança não rende todos os dias

A Poupança só rende após 30 dias da aplicação, na data em que chamamos de “aniversário“.

Por exemplo, se você aplicar R$ 100 na poupança no dia 01/01, só receberá rendimentos no dia 01/02. Caso você resgate o valor antes dessa data, não receberá os juros.

Isso não acontece em outras aplicações de Renda Fixa, como títulos do Tesouro Direto ou CDBs.

Esses outros investimentos rendem diariamente e, por isso, não existe o conceito de “aniversário” e você pode resgatar em qualquer dia sem riscos de perdas (obedecendo aos critérios de cada tipo de aplicação).

4. Risco maior da poupança

Poupança não é tão segura assim

Muita gente acha que Poupança é o investimento mais seguro do Brasil.

Grande engano!

Títulos públicos do Tesouro Direto são muito mais seguros, pois são emitidos pelo Governo Federal.

Já a Poupança é gerida por um bano (público ou privado).

Ou seja, existe mais risco de um banco quebrar do que o Governo Federal quebrar.

Acredite: se o Governo Federal quebrar, significa que tudo no Brasil já quebrou antes dele, inclusive os bancos e suas cadernetas de poupança.

5. Investir está cada vez mais fácil e barato

Acessar bons investimentos está cada vez mais fácil e barato. Muitas vezes, até de graça.

Para investir em títulos do Tesouro Direto, você precisa ter conta em uma corretora de valores.

E a boa notícia é que a maioria das principais corretoras não cobram absolutamente NADA para abrir conta, nem para aplicar em Renda Fixa, o que inclui Tesouro Direto.

Para mandar dinheiro para a sua conta na corretora, é necessário fazer uma transferência bancária (DOC ou TED). Isso pode ter custo, mas, é possível fugir desse e outros custos, seguindo as nossas dicas de como cortar custos de investimentos.

O que é Taxa Selic e CDI

Antes de falarmos sobre as alternativas de investimentos, precisamos esclarecer o que é a Taxa Selic e o CDI.

Esses conceitos são importantes para entendermos e compararmos as rentabilidades de cada aplicação.

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira, estabelecida pelo Banco Central.

Esse índice serve como referência para as outras taxas do mercado, inclusive o Certificado de Depósito Interbancário, ou CDI, que é a taxa de negociação entre os bancos.

O CDI e a Selic são sempre muito próximos. Logo, se determinado investimento remunera 100% do CDI, significa que o rendimento está muito próximo à taxa Selic.

Durante a maior parte do ano de 2018, a taxa Selic permaneceu em 6,5% ao ano. O CDI ficou próximo disso, em torno de 6,4% ao ano.

Principais Alternativas à Poupança

Principais Alternativas à Poupança

Existem diversos tipos de investimentos, cada um para um objetivo e para um perfil (conservador, moderado ou arrojado).

Considerando as características da Poupança, podemos listar duas principais alternativas a ela:

  1. Título Tesouro Selic, do Tesouro Direto
  2. CDBs de Liquidez Diária, de, pelo menos, 100% do CDI

Vamos ver cada um deles em mais detalhes.

Tesouro Selic

O título Tesouro Selic é um dos títulos disponíveis no Tesouro Direto.

Esse título é muito semelhante à poupança. É possível investir a qualquer momento e resgatar a qualquer momento.

Ou seja, ele tem Liquidez, que é o termo que utilizamos para expressar a facilidade com que podemos resgatar o investimento.

Como o nome sugere, esse título rende o mesmo que a Taxa Selic, que, neste momento (início de 2019) está em 6,5% ao ano.

No quesito Segurança, o Tesouro Selic é, sem dúvida alguma, mais seguro que a Poupança, por ser emitido pelo Governo Federal.

Como falamos no começo, o risco de falência do Governo é muito menor que o risco de falência de qualquer banco emissor de caderneta de poupança.

Custos do Tesouro Direto

Enquanto a Poupança é isente de taxas, inclusive de Imposto de Renda, o Tesouro Direto possui alguns custos.

Mas calma! Em qualquer situação, ele renda mais que a Poupança.

Existem dois custos que sempre incidem sobre aplicações no Tesouro Direto: a taxa de custódia da B3 e o Imposto de Renda.

A taxa de custódia da B3 (antiga BM&FBovespa) é de 0,25% ao ano sobre o valor bruto investido (até 2018, era 0,3% ao ano). Esse percentual se refere a serviços de guarda dos papéis.

As corretoras podem ou não cobrar uma outra taxa (chamada taxa do agente de custódia) dos investidores para operações com títulos públicos. Porém existe muitas corretoras ótimas que não cobram taxas para aplicar em títulos do Tesouro Direto.

Neste link oficial você pode encontrar a lista das corretoras habilitadas e integradas ao Tesouro Direto. Na tabela também constam as corretoras que não cobram taxas para investir.

Vale ressaltar que TODAS as corretoras vão cobrar a taxa de 0,25% da B3, mesmo que ela [a corretora] não cobre taxas. Não há como fugir da taxa de custódia da B3.

O outro custo é o velho Imposto de Renda, que segue a tabela regressiva de tributação, descrita a seguir:

  • Até 180 dias = alíquota de 22,5%
  • De 181 a 360 dias = alíquota de 20%
  • De 361 a 720 dias = alíquota de 17,5%
  • Acima de 720 dias = alíquota de 15%

Existe, também, o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Mas ele só incide em resgates realizados antes de 30 dias.

A alíquota do IOF é regressiva, conforme esta tabela:

Dias % Dias % Dias %
1 96 11 63 21 30
2 93 12 60 22 26
3 90 13 56 23 23
4 86 14 53 24 20
5 83 15 50 25 16
6 80 16 46 26 13
7 76 17 43 27 10
8 73 18 40 28 6
9 70 19 36 29 3
10 66 20 33 30 0

Rentabilidade do Tesouro Selic

A rentabilidade do Tesouro Selic é bem superior que a da Poupança.

Veja este gráfico, que compara a rentabilidade de uma aplicação na Poupança (linha azul) com outra de mesmo valor no Tesouro Selic (linha vermelha).

Poupança x Tesouro Selic

CDB de Liquidez Diária

Essa é a segunda alternativa, mas que deve ser analisada com mais cuidado.

É importante notar algumas caraterísticas do CDB a ser escolhido:

  • Precisa ser de, pelo menos, 100% do CDI: ou seja, essa taxa, como vimos antes, é muito próxima à Taxa Selic;
  • Precisa ter liquidez diária: se o objetivo é aplicar em algo parecido com a poupança, é importante ter liquidez diária, ou seja, possibilidade de resgatar o investimento a qualquer momento;
  • Precisa ser de um banco confiável: 100% do CDI é uma taxa que você não encontrará em grandes bancos. Você terá que recorrer a bancos pequenos e médios. Mesmo havendo garantia do FGC, é importante selecionar bem o banco e analisar se é um banco sólido e confiável.

O CDB é muito parecido com o Tesouro Direto. A diferença é que, em vez de emprestar dinheiro ao Governo, você empresta para um banco. Só isso.

Mas, por esse motivo, é importante escolher com cuidado o banco para quem você vai emprestar seu dinheiro, mesmo havendo a garantia do FGC.

Escolha somente CDBs de 100% do CDI ou mais. Existem boas opções, como do Banco Sofisa Direto, do Banco Inter e outros.

Quanto à liquidez, fique atento ao prazo do investimento. Alguns CDBs possuem prazos fixos, que podem variar de 180 dias até mais de 1000 dias. Opte por CDBs de liquidez diária.

Custos do CDB

Os custos do CDB são quase iguais aos do Tesouro Direto, exceto pela taxa de custódia da B3.

Ou seja, há incidência de Imposto de Renda e de IOF (para investimentos de menos de 30 dias).

Tesouro Selic x CDB

Tesouro Selic x CDB

Mas, então, o que é melhor, Tesouro Selic ou CDB? 🤔

Depende.

Se analisarmos apenas a rentabilidade, um CDB de 100% do CDI é mais vantajoso que Tesouro Selic, por não haver o custo de 0,25% ao ano da taxa de custódia da B3.

Mas, se analisarmos o risco, é claro que o Tesouro Selic é mais seguro.

Em outras palavras, podemos dizer que essa taxa de 0,25% ao ano é o preço que pagamos pela Segurança do Tesouro Direto.

Passo a Passo para Investir no Tesouro Direto

Como o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do Brasil, vamos mostrar como sair da poupança e investir no Tesouro Selic.

Passo 1: abrir conta em uma corretora de valores

Passo 1: abrir conta em uma corretora de valores

Para investir no Tesouro Direto, você precisa utilizar uma corretora de valores.

Resumidamente, uma corretora é uma instituição intermediária entre você e o Tesouro Direto (e também outros bancos e gestoras de fundos de investimento).

Pela corretora você poderá investir em títulos do Tesouro Direto e também em outros produtos, como CDB, LCI, LCA, Ações, Fundos de Investimentos e outros.

Se você quiser entender melhor o que é uma corretora, leia este artigo.

Você pode encontrar aqui neste link oficial a lista das corretoras habilitadas e integradas ao Tesouro Direto. Na tabela também constam as corretoras que não cobram taxas para investir.

Dê preferência por corretoras integradas com o Tesouro Direto. Elas permitem investir por meio do site delas, enquanto as não integradas só permitem investir pelo site oficial do Tesouro Direto.

Geralmente os sites das corretoras são mais fáceis e amigáveis que o site do Tesouro Direto. Por isso as corretoras integradas são mais recomendáveis.

Você pode abrir conta em várias e ver com qual você se identifica mais, qual possui melhores opções de investimentos.

Dentre corretoras famosas e confiáveis estão Modalmais, XP, Rico (que faz parte do Grupo XP) e BTG Pactual Digital. Todas elas não cobram taxas para investir no Tesouro Direto.

Passo 2: Transferir dinheiro para a conta da corretora

Passo 2: Transferir dinheiro para a conta da corretora

Com a conta aberta na corretora, você precisa transferir o dinheiro para ela, para poder investir no Tesouro Direto.

Para isso você precisa fazer uma transferência (DOC ou TED) da sua própria conta corrente, pois é necessário que seja do mesmo CPF.

É aí que os custos podem aparecer. A maioria dos bancos cobram tarifa de DOC e TED, que, em média, variam entre R$ 8 e R$ 15.

Se você for investir R$ 100, esse custo de TED vai significar 8% a 15% do valor. Ou seja, você estaria perdendo essa quantia antes mesmo de investir.

E isso não faz o menor sentido, certo?

Mas existem formas de evitar esse custo.

Neste artigo nós explicamos diversas formas de evitar custos de investimentos.

A melhor alternativa é utilizar um banco digital, que não cobre tarifas para transferências.

Passo 3: Investindo em títulos do Tesouro Direto

Acesse o site da corretora e faça login na sua conta.

Assim que a transferência entrar na conta, você já pode realizar o investimento.

Para exemplificar, vou mostrar o processo no site da corretor Rico.

Selecionando Tesouro Direto

No site da corretora, procure a opção Tesouro Direto.

Lá você encontrará diversos títulos, divididos em 3 categorias:

  1. Tesouro Selic
  2. Tesouro IPCA
  3. Tesouro Prefixado

Nosso foco aqui é o Tesouro Selic.

Selecione o título Tesouro Selic.

Selecione Tesouro Selic

O valor a ser investido depende do preço do título.

Nós sempre compramos frações de um título do Tesouro Direto. E, como o preço varia, o valor a ser investido também acompanha essa variação.

No site do Tesouro Direto existe uma tabela com os preços dos títulos e o investimento mínimo. Veja a linha do Tesouro Selic:

Preço do título Tesouro Selic

Note que, nesse dia, o valor unitário do título Tesouro Selic era R$ 9.905,64 e o valor mínimo para investir era R$ 99,05.

Isso porque a fração mínima do título Tesouro Selic que podemos comprar é 0,01.

Se o valor unitário estivesse em R$ 9.800,00, por exemplo, o valor mínio seria a fração de 0,01 desse valor, ou seja R$ 98,00.

Veja o vídeo abaixo, mostrando, na prática, essa relação entre fração do título e valor a ser investido:

 

Explicado esse detalhe, agora você vai entender por que você não pode investir qualquer valor no Tesouro Selic.

Voltando ao site da corretora, você deverá encontrar um campo para investir por valor ou por quantidade de títulos.

Se optar por quantidade, digite a quantidade de títulos. Se for investir o valor mínimo, digite o,01.

Se optar por investir por valor, digite o valor desejado e o site fará, automaticamente, o cálculo para chegar à quantidade correspondente, sem ultrapassar o valor que você definiu.

Por exemplo, se você fosse investir no Tesouro Selic no dia em que o valor unitário dele era R$ 9.905,64, como na tabela, ao digitar que deseja investir R$ 100, o site indicaria que seria comprada a fração de 0,01 título, no valor de R$ 99,05. Os 95 centavos restantes continuariam na sua conta na corretora.

Caso informasse que desejaria investir R$ 200, o site diria que seria comprada a fração de 0,02, no total de R$ 198,11, sobrando R$ 1,88 na conta.

Passo 4: Confirmando o investimento

Assim que você faz o investimento, o próprio Tesouro Direto envia um email, informando que houve uma inclusão de investimento.

A mensagem é enviada do email [email protected], com o assunto Inclusão de Investimento

O conteúdo da mensagem é o seguinte:

<seu nome aqui>,

seu investimento, identificado pelo protocolo <número do protocolo aqui>, foi registrado com sucesso.

As informações de sua aplicação estarão disponíveis para consulta em seu extrato somente após a confirmação da instituição financeira. Mas não se preocupe! Você receberá um e-mail confirmando o seu investimento.

Para tirar dúvidas sobre a operação que realizou, entre em contato com sua instituição financeira.

Tesouro Nacional e B3.

A confirmação do investimento acontece sempre em um dia útil.

Assim que for confirmado, você receberá outro email, do mesmo remetente, mas com o assunto Confirmação de investimento.

O conteúdo da mensagem é o seguinte:

<seu nome aqui>,

seu investimento no Tesouro Direto, identificado pelo protocolo <número do protocolo aqui>, já foi confirmado pela instituição financeira <nome da corretora aqui>. Os títulos públicos federais que você comprou estarão disponíveis em breve.

Para tirar dúvidas sobre a operação que realizou, entre em contato com sua instituição financeira.

Tesouro Nacional e B3.

No segundo dia útil após o investimento, você receberá mais um email do Tesouro Direto, desta vez com o assunto Investimento liquidado no Tesouro Direto, com este conteúdo:

<seu nome aqui>,

Seu investimento em títulos públicos federais, identificado pelo protocolo <número do protocolo aqui>, foi realizado com sucesso. Você já pode consultá-lo no Extrato do Tesouro Direto.

Para tirar suas dúvidas sobre a operação que realizou, entre em contato com sua instituição financeira.

Tesouro Nacional e B3

Pronto! Seu investimento está confirmado e liquidado no Tesouro Direto!

Conclusão

O Tesouro Direto é o investimento mais seguro do Brasil.

E o título Tesouro Selic é a melhor alternativa para quem quer sair da poupança e passar para um investimento igualmente seguro ou até mais. E inclusive, mais rentável.

Investir está cada vez mais fácil e simples. Não existem mais motivos para permanecer aplicando na poupança.

Aprenda Ainda Mais, Na Prática

Para aprender ainda mais sobre Tesouro Direto, na prática, conheça o Curso Tesouro Direto, do TopInvest.

Nele você vai aprender tudo sobre esse ótimo investimento, na teoria e na prática, ensinando passo a passo.

Clique Aqui e conheça o Curso Tesouro Direto, da TopInvest

Curso Tesouro Directo TopInvest